foto 4 (1)

Com a ajuda de especialistas, fizemos uma lista para auxiliar na verificação da sua casa nova

Quando a construtora chama o cliente para a entrega das chaves e o sonho da casa própria se torna realidade, a felicidade é indescritível. Mas antes que você possa mergulhar nessa nova fase e curtir a casa nova, é preciso passar por uma etapa muito importante e sem volta: a vistoria do imóvel. Identificar as falhas na construção e no acabamento antes de entrar para morar pode evitar que o seu “lar, doce lar” não fique tão doce assim, com a amarga experiência de ter os móveis dividindo o espaço com as obras de reparo.
E na euforia para procurar grandes problemas, muitos moradores se esquecem de um pequeno e essencial detalhe: a vistoria começa ainda do lado de fora do imóvel, testando o funcionamento da campainha e depois conferindo a porta de entrada. A melhor forma de dar início à vistoria é dividir a verificação por itens semelhantes, indica o gerente geral de obras Alfredo Ghidini.
“Se você começa por uma porta, aproveite para olhar todas as outras. É melhor do que dividir por cômodos. Olhe primeiro todas as portas, depois todas as janelas, todas as pias e por aí vai. Isso ajuda a não esquecer de nada”, orienta.
Dentro do imóvel, absolutamente tudo deve ser testado. Dos bocais e interruptores aos ralos e descargas. Das janelas dos quartos ao piso de toda a casa. E atenção: só assine o termo de que o imóvel foi vistoriado se realmente tiver conferido cada detalhe, pois muitos dos itens podem não ter mais garantias a partir do momento em que você inicia a mudança, como ressalta o diretor de obras da Lorenge Giuliano Polito.

foto 4 (2)

Peça ajuda

Se você não entende muito sobre o assunto, está inseguro ou é um proprietário de primeira viagem, a melhor saída é fazer a vistoria acompanhado de um profissional do ramo. Ele pode te ajudar a fazer todos os testes necessários, além de tirar as principais dúvidas e apontar as falhas que geralmente passam despercebidas aos olhos de quem está empolgado com a casa nova, avalia o presidente do Instituto de Avaliações e Perícias de Engenharia do Espírito Santo (Ibape-ES).
Confira abaixo 30 dicas para uma vistoria completa
Parte elétrica

1 – Antes de tudo, caso o imóvel esteja ainda sem energia elétrica, deixe isso claro no seu termo de vistoria. E peça uma nova vistoria para quando a energia estiver funcionando. É comum que a maioria dos imóveis ainda estejam com o relógio desligado.

2 – Com um carregador de celular, verifique se todas as tomadas estão funcionando corretamente.

3 – Olhe se há indicação de todos os pontos necessários no quadro de energia.

4 – Leve também uma lâmpada e faça o teste em todos os bocais do imóvel. Aproveite para verificar se a energia está fraca ou satisfatória. 5 – Um item que acaba sendo esquecido, mas que também deve ser testado é a campainha.
Pisos

6 – Com uma bolinha de gude é possível perceber se o piso ou o contrapiso está muito irregular.

7 – É importante prestar atenção, também, nas áreas que delimitam os cômodos, para saber se o granito colocado sob as portas não está muito alto, “ilhando” aquele cômodo.

8 – Faça o teste do silêncio: tente pisar ao máximo dentro do imóvel para perceber se há algum piso com som oco. Pois ele pode se soltar em pouco tempo.
Parte hidráulica

9 – Antes de qualquer coisa, teste as torneiras. Abra cada uma e perceba o fluxo de água corrente e possíveis vazamentos.

10 – Aproveite para observar se os objetos de metais não estão arranhados ou manchados.

11 – Verifique também se a água escoa corretamente ou se há possíveis problemas na tubulação que leva água àquela torneira.

12 – Após abrir a torneira por algum tempo, veja se não há goteiras por baixo dos recipientes.

13 – Teste também todas as torneiras juntas abertas, e dê descarga no vaso sanitário, para testar a pressão.

14 – Observe se os registros funcionam normalmente.

15 – Com um balde, teste o escoamento na varanda para conferir se a água vai escoar normalmente para o ralo. Faça o mesmo com o box dos banheiros.

16 – E não se esqueça de testar, também, a pressão da descarga no vaso sanitário.
Portas, janelas e esquadrias

17 – Teste portas e janelas. Abra e feche várias vezes cada uma delas para ver se não estão empenadas, agarrando ou com ruídos.

18 – Nas portas, verifique se elas estão completamente pintadas. Com um banquinho de madeira, olhe por cima de cada porta. Um pedaço de madeira aparente e sem pintura pode deixar o material exposto a problemas futuros.

19 – Nas esquadrias, veja se não estão arranhadas ou manchadas.

20 – Teste as fechaduras, o olho mágico da porta de entrada.

21 – Os vidros das janelas não podem ter riscos ou partes trincadas. É importante observar, também, se estão bem presos ou se ficam trepidando com o vento.
Observações gerais

22 – Observe se as paredes estão retas. Se aproxime da parede e olhe se ela segue uma direção constante ou se tem “barrigas”.

23 – Fique de olho nas áreas molhadas. O revestimento apresenta manchas ou rejunte mal colocado?

24 – Faça o teste de bater nos azulejos para ver se o som é oco. Caso seja, ele pode se desprender facilmente.

25 – Veja se o rejunte está bem feito e se está limpo.

26 – Confira se não há manchas de tinta nos pisos e rodapés.

27 – Gesso no teto pode denunciar infiltração. Veja se eles não estão amarelados ou úmidos.

28 – Verifique se a vaga de garagem consegue abrigar o seu veículo sem obstáculos.

29 – Faça foto de tudo o que você achar que pode estar errado, mesmo que não esteja. O registro serve como prova.

30 – Por fim, esteja sempre com o memorial descritivo em mãos para saber se os materiais entregues são os mesmos que estavam previstos no contrato.

Fonte: Gazeta Online