foto 1

Fuga de corrente elétrica traz riscos para a família, compromete o funcionamento dos aparelhos elétricos e reflete no aumento da conta de energia

Economizar energia elétrica faz bem ao bolso e ao meio ambiente, mas em alguns casos, mesmo tomando certos cuidados a conta de energia é considerada alta no final do mês. Especialistas afirmam que o problema pode ser a fuga de corrente elétrica, que além de ser responsável pelo desperdício de energia e pelo alto custo da conta, pode colocar a integridade da família em risco. “Um dos sinais de fuga de corrente elétrica é o choque. Aparelhos elétricos que dão choque indicam que há alguma coisa errada, é preciso investigar as causas, pois essa descarga elétrica pode matar em alguns casos”, comenta o engenheiro de medição da Copel, Ilson Mogari. Além de choques, esta situação pode causar danos nos aparelhos e até mesmo incêndios.
O professor do curso de Engenharia Elétrica da Unopar, Márcio Alexandre Ramos Pinto, explica que a destruição de equipamentos elétricos e a ocorrência de incêndios muitas vezes são ocasionadas por instalações elétricas mal executadas e correntes de fuga. “Usar materiais elétricos de boa qualidade e contratar um profissional para fazer a instalação elétrica de forma correta são formas de evitar este tipo de ocorrência”, destaca. Ele acrescenta que além dos cuidados gerais, as áreas molhadas da residência como cozinhas, banheiros e áreas de serviço precisam de proteções especiais. “A fuga de corrente nestas áreas é mais perigosa pois pode causar um choque grave e trazer consequências desastrosas”, complementa.
De acordo com Mogari, há uma maneira bem simples para identificar se está havendo fuga de corrente elétrica na residência. “Basta desconectar todos os equipamentos da tomada e desligar as lâmpadas. Se ainda assim o medidor registrar consumo de energia é sinal de que há fuga de corrente e isso precisa ser investigado por um profissional da área”, salienta. Conforme ele, neste caso é preciso contratar um engenheiro eletricista para avaliar a situação. “Esta questão não é responsabilidade da Copel por se tratar de problema interno na residência e não tem relação com o fornecimento de energia”, explica.
De olho nessa e em outras questões que envolvem o uso de energia elétrica pelas famílias, o Instituto Brasileiro do Cobre (Procobre) desenvolveu o Programa Casa Segura. O objetivo do programa é conscientizar as pessoas sobre os riscos que as instalações elétricas inadequadas trazem às famílias, além do impacto que elas causam no orçamento familiar por conta do desperdício de energia.

Fonte: Folha de Londrina – imobiliária via Secovi PR

 

Procurando imóvel? Aqui você encontra as melhores opções em um único lugar. Acesse o site da Tavarnaro Imóveis.