foto 17 (3)

Além de elementos funcionais, os objetos podem ser utilizados de forma criativa e complementar a decoração

Mais do que instrumentos de autocontemplação, conforme o local onde são instalados, os espelhos assumem papel de protagonistas da decoração de ambientes. No lavabo, por exemplo, o utensílio amplia a área e, uma vez colocado na parede toda, cria um ar sofisticado. Mais ainda, aplicado em uma sala de estar, pode duplicar o tamanho de uma mesa.

Os arquitetos Filipe e Carla Bender conhecem a importância desses utensílios. Para a dupla, os espelhos em banheiros e lavabos são mais funcionais do que estéticos. Nem por isso, contudo, precisam ser utilizados sem criatividade: “Já que o objeto é necessário, por que não aproveitá-lo como ponte para uma ideia ousada?”, sugerem.

Segundo as arquitetas Cristiane Maciel e Sony Luczyszy, toques de conforto e praticidade podem ser adquiridos espelhando superfícies e mesas, além de portas de armários. “O espelho pode ser usado em uma parede simples, como também em paredes inteiras, teto e até móveis, mas tudo irá depender do estilo e das necessidades do cliente”, indicam.

Apesar dos espelhos poderem ser usados por toda a casa, uma atenção especial deve ser voltada para a inserção deles em quartos. Segundo a arquiteta Calina Mussi, é bom evitá-los em posições que rebatam a pessoa dormindo. Alguns adeptos ao Ferng Shui, arte milenar chinesa que visa criar ambientes harmoniosos, acreditam que o item sobre a cama, por exemplo, pode interferir no sono e deixar a pessoa mais agitada. A opinião do cliente em relação a isso deve estar bem clara. “O dono da casa precisa ser bastante ouvido para que o projeto não destoe da intenção do morador e não beire o exagero”.

Por fim, as arquitetas Mariana Stockler e Carolina Posanske explicam que, além da amplitude, o espelho aumenta a luminosidade do décor. “O espelho pode valorizar o projeto luminotécnico e conferir mais luz ao lugar”, garantem. 

 

Fonte: PENSE IMÓVEIS